No Dia Mundial do Meio Ambiente, Volkswagen do Brasil celebra recorde histórico de produção de energia limpa no 1º quadrimestre por sua PCH (Pequena Central Hidrelétrica)

PCH (Pequena Central Hidrelétrica) Anhanguera, da Volkswagen do Brasil: investimento na geração de energia limpa é uma iniciativa pioneira da Volkswagen entre as montadoras instaladas no País

Por: Redação

09 de junho 2016

Às vésperas do Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6), a Volkswagen do Brasil comemora o recorde histórico de produção de energia limpa no primeiro quadrimestre deste ano por sua PCH Anhanguera (Pequena Central Hidrelétrica), localizada no rio Sapucaí, um afluente do rio Grande, entre as cidades de São Joaquim da Barra e Guará (SP). De janeiro a abril de 2016, a usina hidrelétrica produziu 53.291 MWh, o melhor resultado para esse período, em toda sua história. A PCH Anhanguera já totaliza a produção de 458.745 MWh, desde março de 2010, quando as obras da usina foram concluídas e começou a operar em fase de testes; essa quantidade total de energia já produzida seria capaz de abastecer aproximadamente 90 milhões de pessoas por um dia: população equivalente a toda região Sudeste do País e mais o Amazonas. O investimento na geração de energia limpa é uma iniciativa pioneira da Volkswagen entre as montadoras instaladas no Brasil.


“A Volkswagen do Brasil tem um compromisso assumido com o meio ambiente e com o desenvolvimento sustentável, tanto que foi a pioneira do setor a investir na geração de energia limpa. Mesmo com os períodos de seca registrados em 2014 e 2015, conseguimos ter uma produção de energia significativa; que agora, com o retorno das chuvas, também retomou seu ritmo de crescimento. E o resultado é muito positivo, tanto que tivemos no primeiro quadrimestre deste ano, a maior produção já registrada nesse período”, afirma o gerente executivo responsável pelo projeto de PCH (Pequena Central Hidrelétrica) da Volkswagen do Brasil, Cláudio Herbert Naumann.

A PCH Anhanguera (Pequena Central Hidrelétrica) tem capacidade de gerar cerca de 18% da energia consumida pela Volkswagen do Brasil. Em 2012, a usina recebeu a aprovação da ONU (Organização das Nações Unidas) para seu projeto de Certificação de Emissões Reduzidas (CER), mais conhecido como Créditos de Carbono. Esse certificado atesta que a usina hidrelétrica é uma iniciativa sustentável de geração de energia, que contribui para reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa.

A PCH Anhanguera trabalha com três turbinas, com potência instalada de 22,68 MW, com capacidade para gerar aproximadamente 100.000 MWh/ano, o suficiente para abastecer uma cidade de 50 mil habitantes (número semelhante ao de moradores de São Joaquim da Barra); a capacidade é calculada de acordo com a vazão média do rio e geralmente varia conforme os períodos mais ou menos chuvosos. A PCH Anhanguera, também conhecida como Celan (Central Elétrica Anhanguera S.A.), é resultado de uma parceria entre a Volkswagen do Brasil, a Seband e a Pleuston.

PCH Anhanguera é exemplo de preservação ambiental

A PCH Anhanguera e seu entorno são exemplos do cuidado que a Volkswagen do Brasil tem com o meio ambiente. Antes mesmo da construção da usina, a empresa concentrou esforços para minimizar impactos ambientais na área. Foram feitos estudos a respeito de vários programas voltados à educação ambiental e à proteção, recuperação e manutenção da qualidade da água e dos solos, da fauna local e da flora regional. Ações no entorno da obra contribuíram com a preservação dos animais (principalmente os ameaçados de extinção) e recuperaram a mata nativa, permitindo o perfeito equilíbrio ecológico da região.

Na área da Pequena Central Hidrelétrica foi construído um viveiro com 720 m², capaz de produzir até 300 mil mudas de árvores nativas por ano, que são utilizadas para plantio nas áreas de preservação permanente. Cerca de 100 espécies foram catalogadas e cerca de 450 mil árvores foram plantadas para proteger e sombrear o lago; dessa forma, foi criado um cinturão verde ao redor do lago que alimenta a usina.

Durante o processo de catalogação das espécies vegetais, foi encontrada uma bromélia, a Aechmea setigera, que era considerada “presumivelmente extinta”. O último registro de ocorrência da espécie era de 1936. Na PCH, ela foi resgatada e realocada no entorno do próprio lago.

Um Centro de Triagem de Animais Silvestres foi criado durante a construção da PCH Anhanguera para exames laboratoriais e quarentena de espécies encontradas nas áreas ligadas à usina. Os animais da área são monitorados e protegidos por profissionais capacitados e comprometidos com sua preservação. Para acompanhar o ecossistema da região, foi iniciado também o Programa de Conservação e Monitoramento da Fauna de Vertebrados Terrestres, minimizando alterações no ecossistema da região. O corredor de biodiversidade criado pelo reflorestamento e preservação das espécies permite que os animais circulem livremente entre as cidades, contribuindo com o equilíbrio natural. O trabalho de catalogação de animais identificou 96 espécies de peixes; 47 espécies de anfíbios e répteis; 48 espécies de mamíferos; 80 de aves, entre outros.

Para garantir a reprodução no rio Sapucaí, foi construída a ‘Escada de Peixes’, acoplada à barragem da PCH Anhanguera, a qual possibilita que as espécies subam o rio na Piracema, que é a época de desova. O monitoramento da qualidade da água é outra atividade constante.

PCH Anhanguera incentiva Educação Ambiental em seu entorno

Com a PCH Anhanguera (Pequena Central Hidrelétrica), a Volkswagen do Brasil reafirmou seu compromisso com a sustentabilidade, ao construir espaços de Educação Ambiental nas cidades onde está a usina, em parceria com as prefeituras. Em 2014, foi inaugurada a “Sala de Educação Ambiental Vereador Carlos Messias de Miranda”, em São Joaquim da Barra. Em 2012, foi inaugurado o “Centro de Educação Ambiental Sala Anhanguera”, em Guará.

“Os espaços de Educação Ambiental, construídos em parceria entre a PCH Anhanguera e as prefeituras de São Joaquim da Barra e Guará, beneficiam toda comunidade de forma permanente, conscientizando os mais diversos públicos sobre a importância de preservar o meio ambiente. A iniciativa vem de encontro a um dos objetivos da Nova Estratégia da Volkswagen do Brasil, que pretende ser uma empresa cada vez mais socialmente responsável, com fortes valores e impacto positivo para a sociedade”, afirmou Cláudio Herbert Naumann.

PCH Anhanguera desenvolveu o social

A Volkswagen do Brasil também promoveu diversos projetos sociais envolvendo a PCH Anhanguera. A Fundação Volkswagen, responsável por coordenar os investimentos sociais da Volkswagen do Brasil há 36 anos, beneficiou 11.100 estudantes, 110 instituições e formou 370 educadores, de 2005 a 2011, com três projetos de Educação: “Brincar” (resgate de atividades lúdicas), “Entre na Roda” (incentivo à leitura) e “Estudar pra Valer!” (melhoria da aprendizagem) em Guará, São Joaquim da Barra, Ituverava e Ipuã. A Fundação Volkswagen também doou 10.600 livros a escolas e instituições locais.