Sportsystem: Sinônimo de fuscas velozes e bem tratados

Histórias de vida, emoções e aprendizado, tudo envolto a um veículo, um ícone, um símbolo da Volkswagem. O Fusca marcou a vida de muitas pessoas, mas foi determinante na vida do preparador Sandro Bruno

Por: Redação

O que falar de um Septuagenário, ícone de várias gerações de apaixonados por automóveis, desde mecânica ao design, quem nasceu, cresceu ou mesmo ouviu falar sobre o veículo sabe pelo menos alguma história envolvendo este símbolo de várias gerações, que daria páginas e páginas de relatos sobre o Fusca.


Sandro Bruno que nasceu em 1971 na cidade de São Paulo, desde pequeno fora apaixonado por montar e desmontar seus carrinhos de brinquedo, com o passar do tempo Sandro tomou gosto pela ‘atividade’ e começou a desmontar e montar o carro de seu pai escondido. Sandro esperava seu pai ir para o trabalho e começava a mexer no motor do fusca, o carro reserva que ficava na garagem, ele passava de gasolina para álcool e vice-versa, porém tudo tinha que estar no lugar quando seu pai chegava à noite. Certa vez, seu pai chegou do trabalho e resolveu sair com o fusca. Abasteceu o carro. Porém, ao sair, percebeu que tinha algo errado: falhava e estava muito ruim. Chegando em casa começou a reclamar. Sandro teve de confessar, então, que havia mexido no motor. Foi assim que tomou gosto pelo hobbie da reparação.

Primórdios da preparação

Montou sua oficina no bairro da Mooca no ano de 1990, arrumando carros originais. Mas ao assistir as provas de arrancada em Interlagos, decidiu também preparar carros e acabou gostando tanto desse trabalho que sua oficina ficava dividida entre os carros de rua e os preparados.

Em 1992, Sandro montou o famoso fusca laranja, o primeiro fusca a empinar em Interlagos, ficou muito conhecido por se destacar entre os primeiros. Várias preparações e investimentos com peças nacionais foram feitas e foram surgindo novos tempos e recordes e, juntamente com isso, clientes foram surgindo de vários lugares do Brasil e Sandro começou a preparar vários modelos de carros.

Em 1995, Sandro Bruno montou um fusca branco para competir em Interlagos e Curitiba. A preparação usada foi: 2300CC Turbo, com duas weber 44 (metanol). Em 1997, Sandro conseguiu marcar 9.888 segundos, passando no final dos 402 metros a 232 km/h, deixando marcado na historia o primeiro fusca a entrar na casa dos 9 segundos no Brasil.

História de uma vida

Sandro Bruno sentiu sua vida mudar quando conheceu a mulher que se tornaria sua esposa e sócia, foi ela Marta Bruno que incentivou mais ainda Sandro Bruno a se manter e se profissionalizar mais na reparação dos fuscas, então em 1998 juntos fundaram na capital Paulista a Sportsystem, no mesmo ano resolveram montar um novo carro, o fusca aspirado, que trouxe muitas alegrias e recordes para a dupla.

Com incentivo de sua esposa, Sandro decide tornar-se especialista em Volkswagen a Ar, sendo preparador somente desses motores, e desenvolvedor de peças que já não se encontrava mais no Brasil. Para se aprimorar, começou a viajar para fora e engajou-se a não deixar que esse tipo de motor acabasse no Brasil.

Agora, além de ter um grande destaque como piloto, Sandro Bruno começa a se destacar como preparador de fuscas.

As mudanças

Pensando em uma qualidade de vida melhor para a família, o casal decide mudar-se para o interior de São Paulo. Boituva foi a cidade escolhida. Mas as mudanças não param por aí. Nesse mesmo período lançaram sua loja virtual, a primeira empresa desse segmento a investir nesse mercado, que para eles parecia ser muito promissor – e foi. Como sempre atenderam a todo o Brasil, a loja veio como uma forma de agilizar e aproximar os processos de envio de motores e peças para todas as regiões do Brasil e também para países como Portugal.

Atualmente

Com sua grande experiência de 20 anos, em Volkswagen a Ar, Sandro Bruno e a Sportsystem comercializam uma infinidade de peças para esses motores e também preparam vários tipos de motores e carros, enviando-os para todas as regiões do Brasil.

Histórias ricas que Sandro e sua companheira passaram que hoje é destaque aqui no Notícias da Oficina, segundo ele não há como precisar hoje quantos veículos atende, “Nosso foco está no desenvolvimento de motores, peças e carros  portanto fica difícil precisar quantidade de veículos atendidos na Sportsystem.”

Durante a entrevista perguntamos sobre a mecânica do fusca, hoje o principal modelo atendido. “É uma mecânica muito interessante, pra quem gosta de motores, tem carinho pelo trabalho e se interessa, pois requer um serviço minucioso, com medidas precisas e muita atenção a detalhes. O destaque é para a durabilidade do Fusca, e o mais importante os motores são refrigerados a ar.”, diz Sandro Bruno.

Quando perguntamos sobre a mão de obra no Brasil, Sandro é categórico, “é difícil encontrar reparadores qualificados em refrigeração a ar.  Hoje em dia, estão acostumados a lidar com mecânicas mais modernas, sendo muito difícil encontrar profissionais que gostem deste tipo de motor, pois são motores antigos que necessitam de um conhecimento especifico e de muita dedicação e empenho.”, relata.

Uma grande dificuldade encontrada por Sandro é a oferta de peças no mercado nacional. “As peças originais são muito difíceis de serem encontradas, mas existem empresas que vendem peças fabricadas em outros países, de ótima qualidade, há 20 anos buscamos nestas empresas e em diversas partes do mundo peças para mantermos o mercado Brasileiro sempre bem servido com peças de excelente qualidade e também inovações para Volkswagen a Ar.”, completa.

Os amantes do Fusca geralmente têm grande dificuldade em encontrar profissionais capacitados para a reparação deste veículo, mesmo sendo uma mecânica simples para a manutenção, perguntamos ao Sandro Bruno o que um reparador interessado deve saber para oferecer um bom serviço à estes clientes que presam pelos seus Fuscas.

“Para uma prestação de serviço de qualidade é necessário um bom conhecimento de motores a ar, também de todo o veiculo, estrutura, suspensão e todo o conjunto. E é claro o principal, capricho e honestidade.” alerta Sandro.

Sobre o cenário nacional de competições e dos fuscas, Sandro diz que a falta de conhecimento e desenvolvimento de motores a ar gera uma carência no cenário nacional. “Porém os fuscas que andam com motores a ar, sempre andam muito bem e são motivos de grande admiração e curiosidade nas provas, pois estão cada vez mais raros no Brasil. Por sua vez, o cenário internacional esta repleto de motores a ar, devido a um conhecimento muito maior, temos casos nos Estados Unidos de fuscas batendo tempo de 7.70s e passando dos 300 km/h nos 402 metros.”, finaliza Sandro Bruno.