Velas de ignição: Quando é hora de trocar a peça?

Componente de suma importância para o bom funcionamento do motor do seu veículo tem como finalidade a emissão de centelhas, responsável pela adequada queima do combustível

Por: Redação

A vela de ignição é um componente vital que serve para introduzir a energia necessária na câmara de combustão. Através da faísca elétrica gerada entre os eletrodos, inicia a queima da mistura ar-combustível, mantendo a câmara dentro da faixa de temperatura ideal de trabalho. Apesar de ser pequena, este é um item extremamente importante para o carro.

Velas de ignição: fundamentais para o bom funcionamento do motor e controle de emissões

O bom desempenho da vela vai definir o melhor funcionamento do motor, o controle dos níveis de combustível e até mesmo das emissões de gases poluentes. Cada carro requer um tipo específico desse equipamento, que funciona com temperaturas médias entre 450º C a 850º C, em motores movidos a gasolina, álcool ou GLP. Mas, antes de pensar em trocá-las, vamos conhecer um pouco mais sobre as características e originalidade das velas de ignição disponibilizadas no mercado da reparação automotiva.

Tecnologias do componente
No mercado são apresentadas peças de níquel convencional, níquel ítrio, e também aquelas que utilizam materiais nobres em seus eletrodos como, por exemplo, a de irídio e platina. A grande tendência atual é a diminuição do tamanho dos motores, obrigando dessa maneira que as velas sigam o mesmo caminho. Pensando nisso, os materiais utilizados na construção dessas peças precisam evoluir para conseguir atingir a mesma capacidade técnica, mesmo tendo seu tamanho alterado. Um exemplo disso é a cerâmica, que proporciona uma peça em tamanho reduzido mas ainda assim consegue manter a mesma qualidade e, muitas vezes, se tornando até melhor no isolamento de tensões maiores.

Outra vantagem é a utilização de materiais nobres para a produção das velas de ignição obtendo assim maior durabilidade para as peças. As tecnologias de eletrodo também podem ser consideradas avanços tecnológicos com as modificações de geometria dos mesmos, com o intuito de se obter performances melhores. Os motores atuais estão mais potentes comparados aos que eram produzidos no passado, consequentemente geram maiores temperaturas de combustão e exigem velas de ignição com materiais mais robustos e que tenham capacidade para suportar essa variação de temperatura.

A substituição das velas deve seguir conforme indicado no manual do proprietário do veículo. Dentre os principais problemas que podem surgir em decorrência do desgaste das velas podemos destacar:

1. Desgaste de eletrodos -
Com o desgaste dos eletrodos, a superfície onde ocorre a centelha acaba sofrendo uma deformação, fazendo com que a queima do combustível fique menos eficiente e, consequentemente, isso ocasiona problemas na partida a frio e também instabilidade na marcha lenta.

2. Folga excessiva -
Se as velas estiverem com desgaste excessivo pode ocasionar aumento da folga entre eletrodos. Com esse problema, a exigência de tensão da bobina será maior, podendo danificar tanto a vela quanto a bobina. Outra consequência é o gasto excessivo de combustível, pois a modificação no espaço entre os eletrodos acaba prejudicando a queima.

Com a utilização de velas mais frias do que a especificada pela montadora, os problemas que podem ocorrer envolvem: carbonização excessiva da vela, causando problemas na partida a frio ou então uma queima de combustível deficiente.Já com a utilização de velas mais quentes ocorre sobrecarga térmica da vela, que acarreta danos irreversíveis no pacote resistivo da mesma. Também ocorrem danos irreversíveis no motor causados pela pré-ignição, pelo motivo da vela ser mais quente do que a especificada pela montadora.

Velas originais e mercado alternativo
Alguns fabricantes oferecem diferentes opções de vela, que nem sempre atenderão aos requisitos de durabilidade originais de aplicação, o que pode prejudicar o bom funcionamento do sistema de ignição do veículo. Já as velas de ignição originais têm garantia de atender todos as especificações técnicas do motor, possibilitando o melhor desempenho para o mesmo e maior tempo de vida para as peças.

Utilizando velas que não são originais da Volkswagen, pode-se diminuir a durabilidade e capacidade do veículo, podendo assim causar problema no motor.

Com a substituição das velas comuns por velas de materiais nobres é possível reduzir a massa metálica dos eletrodos, o que resulta em maior disponibilidade de energia de ignição para a combustão. Com isso se propicia redução no consumo de combustível e melhor polarização para formação de centelha.

Na maioria dos casos, a vela de ignição recomendada pelo fabricante vem com a folga dos eletrodos de acordo com as especificações técnicas. Somente em alguns casos específicos, a folga deverá ser ajustada de acordo com o indicado no catálogo do fornecedor.

As peças originais também são encontradas com facilidade através do canal de reposição original, disponíveis nas concessionárias da Volkswagen que abrangem todo o território nacional. As velas de ignição originais Volkskswagen fabricadas pela Bosch possuem garantia de fábrica e foram desenvolvidas de acordo com a especificação de cada motor, sendo elas adequadas para a manutenção do veí­culo.

Comparativo de Velas de ignição Recomendadas pelo Fabricante x Paralela

Peça OriginaL Volkswagen

Peça mercado alternativo

Desenvolvido em parceria entre montadora e fornecedor para atender da melhor maneira as necessidades do motor Elaborado sem critério específico para atender as necessidades do motor
Prolonga a vida útil do motor Coloca em risco o motor do veículo
Protege o sistema elétrico contra interferências eletromagnéticas Expõe o sistema elétrico a influência eletromagnética, comprometendo o bom funcionamento de sistemas vitais do veículo
Auxilia a troca de calor entre os componentes de acordo com a exigência desenvolvida pela montadora Pode não realizar a troca de calor de maneira eficiente, prejudicando assim o funcionamento do motor
Devido ao emprego de materiais de alta qualidade, diminui a emissão de poluentes Pode aumentar a emissão de gases poluentes devido ao emprego de materiais com características térmicas e elétricas inadequadas ao motor
Garante o consumo de combustível do carro, devido a sua eficiência em auxiliar no funcionamento do motor Elevação do consumo de combustível devido a falhas de ignição ou aquecimento demasiado, ou insuficiente, das câmaras de combustão


Não basta trocar as velas, é preciso substituir os cabos:

Apesar de todo o desenvolvimento tecnológico empregado nas modernas velas de ignição, todo ele seria em vão se não fossem os cabos que conduzem a energia até elas. Embora de concepção mais simples – pois, fundamentalmente, são apenas fios robustos com dois conectores – os cabos são vitais ao bom funcionamento dos motores, especialmente os modernos, com altas taxas de compressão, que exigem mais do sistema de ignição.

Podem ser conceitualmente mais simples que as velas, mas isso não significa que não possuam alta tecnologia empregada no seu desenvolvimento. Pelo contrário, para atender à demanda dos modernos motores, os cabos também seguem rigorosos processos de fabricação, e utilizam materiais específicos como o grafite e o silicone que visam prolongar a vida útil, evitar interferências eletromagnéticas e assegurar a máxima eficiência na condução da eletricidade até as velas.

Portanto, quando for efetuar a troca das velas de ignição é importante também trocar os cabos, mesmo que não apresentem avarias visíveis, pois, com o uso, a eficiência do isolamento diminui e pode ocasionar fugas de corrente pelo ar em direção ao cabeçote ou outras partes metálicas, acarretando falhas de funcionamento parecidas com as normalmente associadas às velas de ignição.

Embora a recomendação em geral seja remover os cabos utilizando apenas as mãos, isso nem sempre é possível, pois às vezes, os conectores, devido às altas temperaturas, ressecamento e presença de contaminantes “travam” nas velas, ou nas bobinas, tornando a tarefa de remoção bastante trabalhosa. Nestes casos, pode ser empregado um alicate especial para esta função, mas tomando o cuidado de envolver o mordente com um pano macio a fim de evitar danificar o cabo. Caso ainda sim seja difícil, pode-se funcionar o motor por alguns minutos antes a fim de tornar os cabos mais maleáveis e fáceis de remover, lembrando que para a remoção das velas o motor deve estar frio!

Parte do conteúdo deste material foi cedido pela fornecedora da Volkswagen Bosch