Câmbio I-Motion: desempenho exemplar no tráfego urbano e estrada

Sem prejudicar o consumo e a performance em relação às versões manuais, sistema é responsável por acionar e desacionar a embreagem, escolher a marcha certa e realizar a troca

Por: Redação

Antigamente, possuir um veículo dotado de câmbio automático era para poucos. Porém, a partir do ano de 2007 em diante a Volkswagen mais uma vez inovou e disponibilizou, primeiramente, ao Polo, agora, a tecnologia também é oferecida em oito diferentes modelos da montadora produzidos no Brasil: Gol, Voyage, Polo Hatch, Polo Sedan, Fox, SpaceFox, Space Cross e CrossFox.

Transmissão ASG permite a troca de marchas sem precisar acionar a embreagem possibilitando mais conforto

A tecnologia I-Motion alia o tamanho reduzido de um câmbio convencional, com a praticidade da seleção automática. Conhecida pela sigla ASG (iniciais de Automated Sequential Gearbox) a transmissão é a perfeita tecnologia desenvolvida pela Volkswagen para ser utilizada no trânsito da cidade de um jeito bem mais confortável. Isso porque não precisa toda hora trocar de marcha e nem pisar no pedal da embreagem.

O condutor tem a opção de escolher se deseja a troca automática de marchas, ideal para o tráfego em locais de anda-para, modo econômico, ou então pela troca manual, com toda a esportividade e prazer de guiar um veículo Volkswagen. O sistema conta com cinco marchas, o que contribui para o melhor aproveitamento do motor e economia de combustível, além de dar agilidade ao carro. As mudanças podem ser feitas por meio da alavanca localizada no console ou pelos acionadores opcionais (shift paddles) posicionados junto ao volante.

Tecnologia inteligente
O sistema é baseado na tradicional transmissão manual com cinco marchas MQ200 da Volkswagen, consagrada pela resistência e confiabilidade demonstrada pelo uso em milhões de unidades que circulam no Brasil e no exterior. Na transmissão ASG, as trocas de marchas são feitas por atuadores eletro-hidráulicos, acionados por um sistema de óleo pressurizado em até 60 bar. A seleção das marchas é feita por uma central de controle computadorizada específica (TCU – Transmission Control Unity), que troca informações com a central responsável pelo gerenciamento do motor (ECU – Engine Control Unity). Para escolher a marcha apropriada a cada situação são levados em conta dados como a velocidade do carro, a inclinação da pista, rotação do motor e o posicionamento do pedal do acelerador. O motorista pode ainda optar por um comportamento mais dinâmico, em modo automático, selecionando a opção esportiva do câmbio (S, de Sport). Nessa posição, a TCU passa a realizar as trocas em rotações mais elevadas, privilegiando ao máximo o aproveitamento do torque do motor. Por meio da nova alavanca sem cabos (“shift by wire”) no console o motorista seleciona “D”, “M”, “N”, “R”. No modo automático “D”, a caixa seleciona os pontos de troca que melhor atendam critérios de economia de combustível, conforto e segurança. Outro aspecto importante da transmissão automatizada I-Motion é a possibilidade de atender cerca de 80% das pessoas com deficiência física, a um custo consideravelmente inferior ao de uma transmissão automática convencional.

Economia
O grande diferencial no funcionamento deste sistema é a redução de até 10% no consumo de combustível e ainda a redução na emissão de poluentes, tudo isso devido à otimização na troca de marchas, pois a TCU comunica-se com a ECU do veículo e permite que estas ocorram sempre no momento ideal. Como a movimentação do disco de embreagem é feita sempre em condições ideais, o desgaste do conjunto de embreagem é menor do que com a transmissão manual. A simplicidade do sistema automatizado de troca de marchas da transmissão I-Motion também resulta em menores custos de manutenção, comparados aos dos câmbios automáticos tradicionais, que são mecanismos altamente complexos. Outra vantagem da transmissão automatizada é pesar apenas 8 kg a mais do que o câmbio manual, enquanto as automáticas tradicionais podem pesar de quatro a cinco vezes o peso de uma transmissão manual.

Evolução e desenvolvimento
Para a Volkswagen foi extremamente importante ter a certeza de que a transmissão ASG, além de proporcionar conforto e satisfação aos usuários, trouxesse também a mesma qualidade e confiabilidade tradicionais em seus produtos. Sob essa perspectiva, além dos testes em bancada, o sistema I-Motion foi submetido a um extenso programa de avaliação em ruas e estradas brasileiras, além de testes de rodagem na pista da Volkswagen na Alemanha. Durante todo o processo de elaboração, foi utilizado um dinamômetro de câmbio, equipamento de última geração que possibilitou maior rapidez e precisão na avaliação do conjunto antes de sua aplicação no veículo.

O desenvolvimento do sistema, que estreou no mercado brasileiro na linha Polo, em julho de 2009, levou à troca de alguns componentes internos do câmbio, para aumentar a suavidade nas trocas de marcha, um dos pontos críticos das caixas automatizadas anteriormente lançadas. Também houve alteração nos anéis sincronizadores, que receberam revestimento em molibdênio para menor pressão de trabalho e aumento da durabilidade. Esta troca não se deve às características do sistema, mas à possibilidade de alguns motoristas segurarem o carro em subidas usando o acelerador, aproveitando a flexibilidade de uso que o sistema permite. Caso ocorra aquecimento da embreagem, nessa ou em qualquer outra situação, o condutor será alertado por um alarme no painel de instrumentos.

O controle da ASG é feito por uma central de comando eletrônica (TCU), responsável por avaliar as condições de uso do carro e transmitir comandos para os acionadores eletro-hidráulicos que movimentam a embreagem e fazem as trocas de marchas. Esta unidade funciona em harmonia com a central de comando do motor (ECU – Electronic Control Unit) que, durante as alterações de marchas, reduz automaticamente a rotação do motor. Assim que a mudança é feita, a rotação do motor volta a ser administrada pelo motorista.
A transmissão ASG eliminou o esquema tradicional de comando do câmbio, feito por meio de cabos. Todas as ações, sejam elas automáticas ou determinadas pelo usuário, são transmitidas eletricamente. Uma das providências tomadas pela engenharia da Volkswagen, para garantir a confiabilidade das conexões, foi revestir todos os elementos de contato com ouro, metal resistente à corrosão. Como preocupação adicional, os conectores tiveram o espaço interno preenchido por uma resina que evita a entrada de umidade ou poeira.

Aplicativo Intelligent Share
A Volkswagem apresenta, ainda, praticidade para quem adora utilizar as mídias sociais, o lançamento do “Intelligent Share”, uma ferramenta que integra ações nas redes sociais, como o Facebook, Twitter e YouTube. O aplicativo programa os conteúdos de um jeito muito fácil: você escolhe a rede social e a ação que quer gerenciar, assim quando você trocar sua foto no Facebook, o mesmo acontece automaticamente no Twitter, ou se você incluir um vídeo no YouTube, ele já entra no seu Facebook sem um clique a mais! Fácil e prático. Essa é a proposta do Aplicativo lançado no câmbio I-Motion pela Volkswagen.

Destaques do câmbio I-Motion:
• A partida do motor somente ocorre com o acionamento do freio e a alavanca do câmbio na posição N de neutro;

• Menor tempo e maior suavidade nas trocas de marchas;

• Mais rápido e mais econômico do que os concorrentes (segundo a Revista Quatro Rodas);

• Transmissão automatizada ou mecânica a qualquer instante;

• Função “Kick Down” (maior segurança nas ultrapassagens);

• Opção de condução esportiva (tecla “S” – Sport);

• Comandos de troca de marchas no volante (“Shift paddles”);

• Peso otimizado (apenas 8 kg adicionais);

• Informações de marchas e alertas para o condutor no display do painel de instrumentos;

• Menor custo de manutenção (a maioria dos componentes são comuns ao câmbio mecânico).