Macaco telescópico auxilia no trabalho pesado dentro da oficina

Além de permitir que o reparo seja executado sem que o reparador corra riscos, ferramenta evita que sistemas e componentes sejam danificados

Por: Redação

O manuseio do macaco
telescópico é simples, mas o reparador deve conhecer o seu
funcionamento

O macaco telescópico não é um item comum nas oficinas, mas é uma ferramenta que facilita muito o trabalho dos reparadores. De custo relativamente baixo, seu payback se paga pela praticidade e utilização diária, além de eliminar a necessidade de mais de um colaborador para executar o mesmo serviço.

O reparador deve prender o sistema a  ser instalado para evitar acidentes

O reparador deve
prender o sistema a
ser instalado para evitar
acidentes

As muitas oficinas que não utilizam um macaco telescópico correm o risco de causar um acidente aos colaboradores que improvisam e realizam o trabalho desta ferramenta, e podem danificar o componente que necessita de instalação, como por exemplo, um disco de embreagem, empenar um eixo piloto ou amassar um retentor durante a instalação de um câmbio. Também é possível que algum tubo se rompa durante a remoção de um tanque de combustível.

O macaco telescópico facilita a remoção e recolocação de componentes pesados, e exclui a força extra, trancos e solavancos empregados na instalação sem a utilização da ferramenta, além de impedir a possibilidade de travamento do câmbio e o surgimento de trincas no eixo primário.

Indicações de uso

Indicado para instalação de conjuntos pesados, o macaco telescópico também evita acidentes. Além disso, outra vantagem é a otimização da mão de obra, pois com o equipamento é dispensada a necessidade de outro colaborador para auxiliar a remoção de parafusos, fixadores e o apoio da peça a ser removida.

Esta ferramenta facilita o trabalho dos reparadores na oficina independente ao instalarem, principalmente:
– Quadro de suspensão;
- Conjunto de transmissão manual/automática;
- Reservatório de combustível.

Como ele possibilita a regulagem da altura, é possível ajustar a posição ideal para a instalação de sistemas mais pesados, ou que exigem o trabalho de mais de um reparador, como o conjunto de câmbio, por exemplo. Sua operação é simples, similar a um macaco jacaré (2t), mas por se tratar de uma ferramenta de precisão, é necessário que o reparador conheça o manuseio do equipamento para evitar prejuízos, como a queda da transmissão ou outro componente.