Organização e limpeza na oficina

Conheça melhorias simples que ao serem adotadas melhoram a produtividade

Por: Redação

Práticas simples de organização e limpeza aumentam a produtividade

Medidas simples a serem adotadas nas oficinas, como arrumar e organizar as ferramentas de trabalho em local apropriado, melhoram o dia a dia de quem depende deste material. Entre os fatores benéficos desta atitude de acomodação adequada de materiais de uso diário, podemos citar a rapidez e agilidade no processo de busca por ferramentas. Isso gera economia de tempo para os reparadores e lucro para o dono da oficina, que não tem que substituir as ferramentas danificadas com tanta frequência porque, se guardadas corretamente, as lâminas afiadas e cortantes das serras e dos alicates ficam protegidas de danos e não enferrujam.

Economia de tempo

Para Paulo Pedro Aguiar Jr., engenheiro palestrante automotivo e proprietário da Engin – Engenharia Automotiva, a organização faz parte da boa gestão.

“Já se sabe que em uma oficina organizada, o tempo para se achar uma ferramenta certa para o reparo é 30% mais rápido do que numa bagunçada. Se considerarmos que o turno de trabalho é de 8 horas, numa oficina desorganizada, o funcionário perde até duas horas por dia procurando por ferramentas. Portanto, é fundamental que uma oficina possua quadros de ferramentas, carrinhos com gavetas, armários, ou seja, tenham todo o ferramental, quando não utilizado, guardado em um local apropriado”.

Segurança

Outro fator a ser considerado é a redução de acidentes, sem falar da melhoria na aparência do ambiente, uma vez que os clientes estão cada vez mais exigentes quanto à apresentação da oficina e dos reparadores.

“De nada adianta ter ferramentas corretas, mas armazenadas em lugares longe do reparo a ser realizado. As ferramentas básicas precisam acompanhar o mecânico. Ex.: caixa de ferramentas ou mesmo um carrinho contendo as ferramentas básicas de trabalho. Se não, ele perderá muito tempo indo e voltando para pegar a ferramenta correta”, explica o engenheiro.

Senso de utilização

Quando se fala em melhoria na administração em oficinas mecânicas, muitas vezes, é utilizado como referência o programa 5 S. Este surgiu no Japão no final da década de 60, sendo idealizado como parte do processo de reconstrução do País no pós-guerra, tamanha é sua eficiência. O primeiro item deste programa, o Seiri, significa senso de utilização e relata com clareza a importância de se dar valor a esta questão. Os propósitos desta metodologia visam maior produtividade, satisfação e motivação do funcionário, economia de tempo e dinheiro e menos acidente.

Mudanças são bem-vindas

Para esse processo de organização, se não há espaço na sua oficina, vale a pena gastar tempo na viabilização deste projeto, pois haverá economia de tempo e redução no estresse, consequentemente, maior rentabilidade no trabalho. É comum que os reparadores, na correria do dia a dia, guardem ferramentas que deveriam ser descartadas, devido ao desgaste. Estas se misturam com outras de uso contínuo e atrasam a produtividade. É preciso selecionar o que é útil do que é desnecessário e fazer a seleção.

“Também precisa orientar o mecânico a pegar as ferramentas corretas para o reparo. Daí a necessidade de se colocar um reparador qualificado para cada tipo de serviço. Só assim ele saberá quais são as ferramentas corretas para o reparo, diminuindo o tempo de permanência do veículo na oficina”, alerta Paulo.