Produto biodegradável é alternativa eficiente para lavar peças

Por: Redação

Produto biodegradável

A lavagem de peças na oficina de maneira correta se tornou essencial nos dias atuais. A questão, além de ser ambientalmente correta, também é importante pelo fator trabalhista. Quem trabalha em uma oficina que utiliza derivados de petróleo, sem o uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual), por exemplo, pode adquirir problemas de saúde e causar uma série de transtornos ao contratante, por exemplo.

O uso de produtos biodegradáveis é uma boa opção para quem quer preservar o meio ambiente e a saúde de seus funcionários. Eles reúnem uma série de vantagens que fazem a diferença dentro da oficina.

Produtos desse tipo não evaporam, como outros com base em petróleo e que causam irritações nos olhos. “Mas deve-se ainda fazer uso do EPI, mesmo sendo com uma concentração de itens químicos menores”, alerta o diretor do Sindirepa-SP, Antonio Gaspar.

O fator econômico de produtos biodegradáveis também é notável. Normalmente, o custo desses itens são equiparados ou até menores em relação aos produtos que levam petróleo na fórmula. “Por não evaporar, esses produtos duram mais e funcionam tão bem quanto outros”, diz Gaspar.

Produtos ambientalmente corretos, não requer muitas mudanças dentro da oficina. A mesma máquina que usa o querosene para limpeza pode ser usada com o produto biodegradável. “Não há grandes mudanças. A única coisa que é essencial é fazer a limpeza da máquina e retirar o produto que era utilizado antes, para não haver contaminação”, alerta.

Com produtos biodegradáveis não há necessidade de enxágue após a aplicação do produto. Outro cuidado que deve ser tomado é ficar de olho no vencimento do produto dentro da máquina de lavagem, porque se ele vencer não há mais efeito.

Para fazer uso dos produtos, a oficina não deve abrir mão da caixa separadora de água e óleo. “Ela faz a separação dos resíduos de maneira correta. A água, embora esteja com um produto biodegradável, teve contato com os resíduos poluentes, como o óleo”, ressalta.

Outra dica importante de Gaspar é ficar de olho na procedência do produto, conferindo a FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico) que deve ser anexada ao item comprado.